quarta-feira, fevereiro 6

....

 
 
 
Tou com raiva. Aliás, tou furiosa! Comigo mesma.
Eu sei, não tenho atualizado o blog tanto quanto gostaria – tá tudo interligado. Me acompanha que você vai entender.
A coisa é – eu saí dos trilhos. Me perdi. Acordei um belo dia e, opa!, quem é essa aí? Crise de identidade? Não, é desvio mesmo. Sabe como? A verdade é que eu odeio essa coisa de “deixa a vida me levar” (mals aê, Zeca!). Sou controladora. Acho que se a vida te leva demais, quando você percebe, foi parar em algum lugar que não queria. Tá bom, isso pode ser bom, às vezes. Pode te trazer algumas boas surpresas. Mas quando as coisas te levam demais, você se perde. De você.
E eu me perdi de mim.
Você corre – acorda apressado,corre para trabalhar, para resolver as coisas,  família, ou de casa. Marca médico, vai a banco, faz mercado.. e quando percebe, as coisas foram acontecendo meio sem controle.
E aí você se toca, como eu, que não se reconhece. Quem é essa aí, Alice? 
Não precisa ter passado um tempão, não. Anos nem nada – as coisas podem facilmente desandar em poucos meses ou semanas! E você, que está num movimento “Nitzscheniano” de se tornar quem você é, perde o rumo.
Quando cai a ficha, você engordou 5 kgs. Ou encostou aquele projeto que você achava inadiável. Ou não se parece mais com você mesmo. Ou prioriza as vontades de todo mundo menos as suas. Coisas assim.
Veja meu caso – fui deixando rolar, deixando rolar… e estou me odiando. Mal me reconheço.
..... Minhas roupas… pfft! Há séculos que comprar roupa deixou de ser prioridade na minha vida. Compro alguma coisa quando é uma “oportunidade” – quando acho uma boa peça ao acaso, com ótimo preço. Sem pensar. Sem planejamento. Sem coordenação. Estou sempre com trocentas blusas e nenhuma saia, ou trocentas saias e nenhuma blusa, sabe? Caos! O armário tá cheio, e nenhuma daquelas roupas tem a minha cara. Aí você pensa “sai e compra tudo novo, ué”. Mas não é bem assim, certo? Só se eu ganhar na loteria.
Gasto meu dinheiro e tempo com livros, remédios (pode rir! rs), caninos, ... restaurantes, CONTAS… roupas? Nah. E isso é grave porque, ora bolas, EU SOU MULHER. Não é a mesma coisa que para um homem, que só compra cueca quando fura, ou compra um bocado de roupas uma vez ao ano e tá bom. Não funciona assim conosco. Tem todo um apelo de moda, estação, tendência…
... . Só faço a unha quando tenho evento, porque digito o tempo todo, ela estraga rápido e fico com preguiça de ir ao salão. Olha que absurdo. Vogue? Eu vou direto pro inferno da breguice daqui a pouco, porque estou em pecado – não compro revista de moda (eu era viciada!) há séculos!
Tenho deixado de ir aos lugares diferentes que gostaria muito de ir (sempre tem algum “senão”), pra fazer os mesmos programinhas de sempre. Tenho deixado de viver minha vida como ser individual, porra! Pareço uma velhinha, que só pensa em arrumar a casa, descansar, ver filmes na tv… tá bom, o ritmo de trabalho fica intenso e você fica mesmo cansado. Mas peralá!
Tou cansada de ter virado essa pessoa “confortável”. Morna.
E no dia em que percebi isso, emburrei. Fiz birra. Chorei. Deprimi..... Daí fico sem vontade até de escrever.
Mas já sacudi a poeira. Pelo menos o pó, rs. Ainda tou chateada, ainda não mudei nada, mas a semente da mudança se instalou. Não sei nem por onde começar – não sei se vou embora de casa e largo tudo (brincadeira! rs), não tracei muitos planos de ação, mas estou chegando nessa parte. Revendo um BOCADO de coisas. Um bocado dos meus relacionamentos com as pessoas e um bocado de mim.
Sim, de mim, porque se o que você se tornou não é bom nem pra você nem pra ninguém, é hora de rever. Só gente ignorante vem com aquele papinho de “eu sou assim, esse é meu jeito”. Quero melhorar, pôxa!
Quero voltar a ser quem eu era – melhor, quero ser uma versão melhorada de quem eu sou!

(Palavras que de outra pessoa que relata o que estou passando neste momento . Retirado daqui. )

4 comentários:

Ju disse...

Hoje eu tô tão borocochô, tão chateada comigo mesma, bem no estilo que você escreveu aí, que nem sirvo pra te dar uma animada :-/

Mas de uma forma ou de outra, temos que tentar melhorar sim!

Boa sorte pra nós, né?!

Beijinhos

Suzana ... Feliz recomeço ! disse...

Amiga,

Vc acabou de achar alguém parecido... rsss

Bjs

Suzana

Luana Lima disse...

Eu li o texto inteiro pensando que você quem tinha escrito rsrs

Muito bom o blog! Espero que esteja caminhando por caminhos abençoados e muita coragem para ir à luta!

Beijinhos,

lu.

Beth disse...

Excelente texto.
Eu também andei muito esquisita em 2012. Não a ponto de não comprar roupas, eu não perco essa vontade kkkk Mas essa coisa de não me reconhecer em tantas coisas,e principalmente não me firmar no processo de re-emagrecimento etc. Aí, descobri que nem tudo era por minha culpa e, sim, consequência de um processo depressivo, ocasionado por variações hormonais, a menopausa etc. Estou me tratando, melhorei muito, agora estou prestes a retomar meu processo. Atualizei o blog, vou mantê-lo em dia, é minha ferramenta de ajuda muito especial.
Conto com você, tá?
Conte comigo também.
Beijos

Beth
http://aconquistablog.wordpress.com