sábado, março 23

Adeus....




 “Lembra quando você disse que devíamos ser infelizes juntos para sermos felizes? Considere prova do quanto te amo eu ter passado tanto tempo tentando fazer a idéia dar certo. Mas, outro dia, um amigo me levou a um lugar incrível: o Augusteum. Otaviano Augusto o construiu para abrigar seus restos mortais. Vieram os bárbaros, e foi demolido, com o resto. Como Augusto, o primeiro grande imperador de Roma imaginaria a queda Roma e de todo o mundo como ele o conhecia?
      É um dos locais mais sossegados e solitários de Roma. A cidade cresceu ao seu redor ao longo dos séculos. Como uma ferida, um coração partido ao qual você se apega, pois a dor é boa. 
        Todos queremos que as coisas permaneçam iguais..... Vivemos infelizes com medo que uma mudança estrague tudo. Aí eu olhei esse lugar, o caos que ele suportou, o modo como foi adaptado, queimado, pilhado e reconstruído e me tranqüilizei.
 Talvez minha vida não tenha sido tão caótica. O mundo que é a armadilha para nos apegarmos às coisas.
 
     A ruína é uma dádiva. A ruína é o caminho que leva à transformação. Até nesta cidade eterna, o Augusteum me mostrou que devemos estar preparados para as intermináveis ondas de transformação.
 Nós dois merecemos mais do que ficarmos juntos por medo de sermos destruídos não ficando.”

Carta de Liz para David em Comer, Rezar, Amar

4 comentários:

Laura disse...

Que lindo!

Luális Rosa disse...

Nossa que lindo e profundo esse texto... Estou vivendo algo assim e o medo de mudar tem me paralisado, mas vale a pena refletir! Bjos

As fases de Guinha disse...

Adoro esse livro. Refletindo o texto, na verdade digerindo.
bjs

Como Melhor Logo Emagreço disse...

adorei...vou ler esse livro...