terça-feira, outubro 22

5 verdades sobre o medo


Nós tememos estar sozinhos e tememos multidões. Nós tememos os médicos e tememos viver com problemas de saúde. Nós tememos o sexo oposto e tememos não conhecer o sexo oposto. Nós tememos tomar decisões e tememos não surpreender. Nós tememos problemas e tememos oportunidades. Tememos o fracasso e tememos o sucesso. Nós tememos entrevistas de emprego e tememos o desemprego. Nós tememos nos impor e tememos não sabermos nos impor. Tememos ser empurrados e tememos ser carregados. Tememos romper um relacionamento e tememos permanecer num relacionamento. Tememos conhecer um novo alguém e tememos não encontrar ninguém.
Nossa! Que lista de medos contraditórios! A verdade sobre esses medos é que eles são loucos e irracionais. Que medos que você experimenta e acredita serem só seus? Quais os medos que o enlouquecem?
Como você viu no início deste artigo, tememos um aspecto da história da mesma forma que tememos o aspecto oposto da mesma história. É possível que tenhamos medo de falar com um desconhecido e, ao mesmo tempo, temamos não conhecer gente nova pois o medo esconde a verdade. A experiência que o medo lhe traz é uma cortina de fumaça. Ele o torna irracional. O medo esconde a verdade de você. O medo não quer conhecer a verdade sobre si próprio e sobre você.
O medo que experimentamos é imobilizador. Ele nos paralisa não nos deixando agir e alcançar o que queremos. Nós podemos desejar alguma coisa, mas o medo envia ao nosso corpo algo que se parece com uma carga eletromagnética que bloqueia nosso funcionamento físico.
De acordo com Susan Jeffers, Ph.D. em “Sinta medo e faça de qualquer forma”, há cinco verdades a respeito do medo, qualquer que seja o seu medo, desde que não envolva sua saúde, como tomar drogas, por exemplo.

Verdade 1 - O medo jamais irá desaparecer ao longo do nosso desenvolvimento.
Nossos antepassados experimentaram o medo porque eles eram ameaçados por animais perigosos ou por um ambiente hostil. O medo tem o seu propósito evolutivo pois serve para nos proteger. Seja qual for o objeto de seu medo, o próprio medo desencadeia em você a sensação de perigo. Ele lhe mostra que a coisa que você teme irá causar-lhe dor. O medo faz você achar que não vai conseguir lidar com isso.
É muito mais agradável experimentar o crescimento e conviver com medo do que viver paralisado pelo medo. Não seja uma daquelas pessoas que esperam viver uma vida sem medo. Como disse Thomaz Leonard: “O medo é natural. Conviva com ele.” O medo irá diminuir com relação às coisas com as quais você se envolver profundamente. No entanto, toda vez que você explorar territórios desconhecidos novos medos virão. Eu sei que não é agradável ouvir essas coisas, mas eu estou aqui para dizer-lhe a verdade sobre o medo e o que ele não quer que você saiba. É muito mais agradável experimentar o crescimento pessoal e conviver com o medo do que viver paralisado pelo medo.

Verdade 2-  A única forma de se livrar do medo de fazer alguma coisa é indo lá e fazer.
Parece contraditória à verdade 1, mas pode ter certeza que ambas são verdades. O medo sempre vai existir em sua vida, mas não tem que existir nas coisas que você faz. Quando fazemos as coisas que tememos, criamos confiança em nossa capacidade de lidar com essas situações. O medo diminui.
Nós sentimos medo porque a incerteza aumenta quando temos que lidar com o desconhecido. “O medo vem da incerteza”, disse Willian Congreve. Quando nós temos certeza absoluta de nosso valor ou mesmo da nossa falta de valor, nos tornamos quase inacessíveis ao medo.

Verdade 3- O único jeito de se sentir bem com você mesmo é ir lá e fazer.
Quando estamos com medo nós prometemos que iremos agir assim que nos sentirmos melhor. “Quando eu estiver pronto eu..., se eu puder eu..., eu vou esperar até eu...”. Pare de esperar seja lá o que você estiver esperando. Mude sua atitude.
Da mesma forma que a auto-estima aumenta a sua capacidade de tomar atitudes, também o agir aumenta sua auto-estima. O sentimento de auto-confiança irá aumentar, como um bom investimento financeiro, levando você a aumentar cada vez mais seus sentimentos positivos em relação a você mesmo. Não espere ser um palestrante corajoso antes de fazer a palestra. Faça primeiro a palestra para então tornar-se um palestrante seguro.
O mito da verdade 3 - “quero me sentir melhor antes de fazê-lo” - é o pensamento oposto ao da verdade. Você não vai se sentir uma pessoa melhor ou ter mais auto-confiança até fazer aquilo que teme. É quando você mergulha na ação que começa a se sentir bem, não o contrário.

Verdade 4- Não é só você que sente medo quando está em um território desconhecido. Todos nós sentimos.
É muito encorajador e agradável ouvir a verdade 4. É verdade que todo o mundo experimenta o medo em um território desconhecido. Todo palestrante ou escritor que eu conheço sofre ou sofreu medo e insegurança com relação ao julgamento dos outros.
O medo está disseminado na mente humana. O medo quer que você pense que ele é um problema psicológico sem igual. O medo é um problema educacional. Aqueles que estão junto a você, ou aqueles que você inveja, também experimentam, ou já experimentaram, o mesmo medo que você acha ser seu somente. São as inseguranças que sentimos e que parecem únicas, que unem a todos nós.

Verdade 5- Enfrentar o medo deve ser menos assustador do que viver com um medo subjacente, que advém de um sentimento de impotência.
O medo de estar doente deve assustar mais do que o medo de ir ao médico. O medo do divórcio não pode ser mais assustador do que o medo de enfrentar um difícil problema de relacionamento. O medo de não se ter amigos deve ser mais assustador do que o medo de se aproximar de um estranho. "A coragem não é a ausência do medo", disse Ambrose Redmoon, "mas é pensar que existe alguma coisa mais importante que o medo, a ser alcançada."
Repita cada uma dessas verdades pelo menos 20 vezes pela manhã e à noite. Quando você afirma essas verdades continuamente, acaba aceitando-as em sua vida. Você não mais será pego pelo medo. Não deixe o medo enganar você. Conviva com o medo e viva a vida sem medo.

Celso A. Cavalheiro

Nenhum comentário: