quinta-feira, dezembro 5

mimimi




Ontem a noite, estava olhando  um blog de Portugal, vi uma foto de um local que fiquei apaixonada qdo o visitei...
Fiquei triste. Sabe aquela tristeza doída? Tristeza de saudade. Como se me encontrasse com uma pessoa que há muito tempo me abandonou...
Mas não é uma pessoa.... é um país que passei apenas sete dias, e queria tanto  hoje caminhar pelas ruas geladas e observar a decoração de natal.


Aí que fui dormir e novamente sonhei que estava na praça que vivo sonhando, as vezes é a praça Marques de Pombal e as vezes tou sentando ao fundo, no Parque Eduardo VII.  (já comentei aqui.).
Estava sentada nestes bancos laterais (foto acima), apreciando o movimento e tentando me esquentar ao sol, qdo senta outra versão minha ao meu lado. Uma versão mais magra, mais loira e mais feliz.
Eu paro, olho, olho e olho para essa versão. Ao final eu solto um: "não entendo como vc pode ser mais feliz que eu".
Minha versão que só olha para o jardim me diz sem ter me encarado nenhuma vez:
- Aqui, vc estava em férias. Vc era livre. Hoje vc esta presa. Esta sempre esperando. Claro que sempre sentirá saudades daqui. Do lugar que se permitiu viver.
Nisso, minha versão mais loira, mais magra, mais feliz e mais inteligente me dá uma piscadela (coisa q não sei fazer) e vai embora. ela tem um traseiro menor.

Acordo sentada na cama, coração acelerado num calor absurdo e não era nem 06h da manhã...


Devia ter uma conclusão para esse texto, mas ainda tou tentando entender tudo....

2 comentários:

Beatrix disse...

Descreveu meus sonhos com o Japão... E com meu atual marido. Antes de conhecê-lo, sonhei no mínimo 10 vezes com ele, sem ao menos ter visto uma única foto. Depois que nos conhecemos, os sonhos pararam.

Tem uma tag pra vc no meu blog, beijos;

Bruxa do 203 disse...

Que lugar lindo!! Isso acontece muito comigo. Sempre quero estar em lugares com os quais me identifico mais e a maioria longe.